quinta-feira, 16 de maio de 2013

Ônibus do transporte público do DF registra 1.884 passageiros em apenas uma viagem

Foto: Renato Araújo/ABr
Sabemos que a notícia não tem nada a ver com Santa Maria, mas, serve para refletirmos sobre o transporte público do Distrito Federal e suas maracutaias.

Auditores fiscais do DFTrans (Transporte Público do Distrito Federal) apontam indícios de uma fraude que pode ter causado um rombo de mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos. Segundo documento apresentado pela classe, um ônibus da empresa Rotha, que faz a linha Planaltina-W3 Sul teria feito uma viagem completa neste percurso na qual 1.884 passageiros teriam pagado passagem, todas com o uso de apenas seis cartões de bilhetagem eletrônica.  

O mesmo veículo, apontado na fraude, teria sido credenciado para rodar de forma emergencial no ano passado. O ônibus operou até janeiro de 2013 e só voltou a ser credenciado em março. A viagem sob suspeita foi realizada no último dia 23 de fevereiro, enquanto não tinha autorização para rodar.    

De acordo com a direção do DFTrans, a suposta fraude foi identificada e não vai haver prejuízo para o governo. Os valores que tiverem sido repassados para a empresa de forma irregular vão ser descontados nos próximos pagamentos.

Os auditores fiscais reclamam que estão há mais de um mês sem condições de fiscalizar os ônibus do tranporte coletivo do distrito federal e culpam a direção do DFTrans.  

A empresa Rotha garantiu que não há irregularidades e que a denúncia é motivada pela briga entre os auditores fiscais e o DFTrans. Segundo o administrador da empresa na época, Wanderlei Espíndola, alguns passageiros venderam o crédito que tinham nos cartões e a empresa descontou. Por isso, o relatório dos auditores identificou várias passagens em apenas seis deles.

Fonte: R7 DF

Nenhum comentário:

Postar um comentário